Síndrome de Burnout: saiba como prevenir a doença na empresa

November 8, 2021
Recursos Humanos

A síndrome de burnout é uma alteração psíquica provocada por exaustão extrema e diretamente relacionada ao ambiente de trabalho. Por isso, ela é conhecida também como a “síndrome do esgotamento profissional”, por surgir devido ao acúmulo de estresse.

Esse é um fenômeno que apresenta uma tendência de crescimento se as relações de trabalho não adotarem modificações. A propósito, recentemente, a OMS (Organização Mundial da Saúde) identificou a síndrome de Burnout como um “estresse crônico”, provocado por ocorrências relacionadas às experiências profissionais.

Neste artigo, vamos explicar as causas da síndrome de Burnout, seus principais sintomas, diagnóstico, tratamento e como as empresas podem contribuir para evitar que isso ocorra, adotando estratégias de motivação, entre outras importantes ações relacionadas à saúde física e mental. Continue a leitura para saber mais!

Quais são as causas da síndrome de Burnout?

Esse distúrbio é muito comum em profissionais que trabalham sob constante pressão, como médicos, professores, entre outros. Toda a ansiedade, pressão intensa e nervosismo constante podem provocar uma depressão profunda, que necessita de acompanhamento médico, com psicólogo ou psiquiatra.

Quais são os principais sintomas da doença?

A síndrome de Burnout pode provocar uma série de sintomas. Embora os mais comuns sejam psicológicos, as pessoas com esse distúrbio também podem sofrer frequentemente com palpitações, dores de cabeça, tonturas, insônia, resfriados e dores musculares. Os principais sinais são:

  • alterações repentinas de humor;
  • cansaço físico e mental;
  • dificuldade de concentração;
  • falta de ânimo para atividades sociais ou estar com outras pessoas;
  • falta de energia;
  • isolamento social;
  • negatividade;
  • priorizar as necessidades dos outros;
  • sentimento de incompetência;
  • dificuldade para gostar de atividades antes apreciadas.

Outros sintomas comuns da síndrome de Burnout incluem a demora excessiva para realizar as tarefas profissionais, assim como chegar atrasado ou faltar muitas vezes ao trabalho. Além disso, quando tira férias é comum a pessoa não sentir prazer em fazer passeios, voltando para o trabalho com a sensação de ainda estar cansado.

Como a síndrome de Burnout pode ser diagnosticada?

Muitas vezes, a pessoa que está sofrendo com Burnout não identifica todos os sintomas, por isso não consegue perceber que algo está acontecendo. Dessa forma, se existirem suspeitas de que possa estar sofrendo com esse problema, é aconselhável buscar ajuda médica.

O diagnóstico é feito por um psicólogo com base nos sintomas relatados pela pessoa, podendo utilizar também o questionário Maslach Burnout Inventory (MBI), que ajuda a identificar, quantificar e definir a síndrome.

Qual é o tratamento adotado para a doença?

O tratamento para a síndrome de Burnout é orientado por um psicólogo, com sessões de terapia para ajudar a aumentar a percepção e o controle frente a situações estressantes do trabalho. O objetivo é melhorar a autoestima e desenvolver ferramentas que ajudam a controlar o estresse.

Para os casos em que os sintomas persistem, o psicólogo pode indicar um psiquiatra, a fim de iniciar um tratamento com medicamentos antidepressivos. A empresa pode contribuir nesse momento, reduzindo a jornada de trabalho e proporcionando assistência para atividades lúdicas.

Como identificar se esse problema está presente na empresa?

Antes de chegar a níveis extremos de esgotamento e depressão, os colaboradores afetados pelo distúrbio passam a demonstrar diversos sintomas que podem ser percebidos pela empresa, como:

  • depressão;
  • distanciamento das necessidades pessoais;
  • desequilíbrio na vida social;
  • despersonalização (não reconhece seus próprios valores);
  • esgotamento;
  • negação (evita o confronto com os sintomas mesmo percebendo que algo está errado);
  • mudança de comportamento (agressividade e intolerância);
  • não "se desliga" do trabalho;
  • necessidade em demonstrar o seu trabalho;
  • prioridade ao trabalho em detrimento da família e amigos;
  • sentimentos vazios.

Como evitar que a síndrome Burnout aconteça com os seus colaboradores?

Para evitar que a síndrome de Burnout afete os colaboradores de uma empresa, é preciso que o setor de RH e os líderes de equipes criem estratégias com o objetivo de diminuir o peso da rotina, visando proporcionar mais leveza ao ambiente de trabalho e indicar opções de tratamento ao funcionário que demonstrar algum sinal do distúrbio.

Nesse sentido, é preciso considerar, ainda, que se houver um caso de estresse, isso significa que outros podem surgir. Por isso, é importante sempre reavaliar as estruturas de trabalho e encontrar formas de otimizá-las.

Incentive a prática de atividades físicas

As atividades físicas podem ser realizadas na empresa para estimular essa prática, contribuindo para o bem-estar físico e psicológico do colaborador. Os exercícios são fundamentais para prevenir a síndrome de Burnout, pois ajudam na redução estresse, combate a depressão e a ansiedade. Além disso, previne outras doenças, como problemas cardíacos, diabetes tipo 2 e câncer.

Evite expor os colaboradores a muitas situações desgastantes

Muitas vezes é necessário ficar um pouco a mais na empresa para efetivar tarefas importantes. Porém, quando esse tipo de situação se torna uma rotina, pode gerar estresse excessivo e desencadear a síndrome de Burnout nos colaboradores da empresa.

Proponha atividades de lazer

Sempre que possível, programe um momento de descontração fora do ambiente de trabalho, fazendo um happy hour, por exemplo. Além de proporcionar relaxamento, essa prática também fortalece o espírito de equipe e aprofunda o relacionamento interpessoal.

Incentive as pausas na rotina de trabalho

As pausas na rotina de trabalho são de extrema importância para descontrair e melhorar a circulação sanguínea, prejudicada por várias horas na posição sentada ou em situações de movimentos repetitivos. Por isso, é preciso incentivar alguns minutos de descanso durante o expediente.

Flexibilize o horário de trabalho

Proporcionar a flexibilização no horário pode fazer uma grande diferença para o estado psicológico do colaborador. Com mais tempo para ficar em casa, se relacionar com a família e não ter que cumprir horários rígidos, o funcionário fica mais tranquilo, conseguindo reduzir o seu nível de estresse. Para ajudar nesse sentido, a empresa pode oferecer o sistema de trabalho híbrido.

Recomende a mudança de hábitos e estilo de vida

A empresa também pode orientar os colaboradores, por meio de campanhas, para mudanças no estilo de vida, de modo a garantir uma boa saúde física e mental. Isso inclui aspectos essenciais, como:

  • dormir bem;
  • manter hobbies;
  • participar de grupos sociais;
  • praticar atividades físicas regulares;
  • ter uma alimentação saudável.

Esses são fatores essenciais para melhorar a qualidade de vida e diminuir o estresse, prevenindo a síndrome de Burnout e outras doenças.

Como vimos, a síndrome de burnout é uma alteração psíquica causada pelo cansaço extremo e diretamente relacionada ao trabalho. Nesse sentido, é preciso que as organizações fiquem atentas aos sinais e adotem ações voltadas à qualidade de vida no ambiente laboral.

Gostou deste artigo? Para saber mais sobre o assunto, veja também o conteúdo que explica como o RH pode lidar com a saúde mental do trabalhador!

Caju Team

Caju é uma plataforma de benefícios para quem se importa com seus colaboradores!

Substitua todos seus cartões de benefícios pela Caju! Aqui você consegue comprar os benefícios do seu time de um jeito fácil e que seu time vai amar!

Artigos Relacionados

Assine nossa newsletter

Receba as novidades da Caju em primeira mão

Thank you! Your submission has been received!

Oops! Something went wrong while submitting the form