Passo a passo: como construir um offboarding efetivo

June 22, 2022
Recursos Humanos

Dar as boas-vindas a um novo integrante é sempre especial e as empresas contam com programas detalhados de onboarding. Porém, de todas as prioridades de uma empresa, o offboarding não parece figurar entre as principais. Uma pesquisa realizada pela Aberdeen mostra que apenas 29% das companhias contam com processos mais estruturados para o desligamento.

O que pode ser um problema seja para os funcionários e para a imagem da empresa no médio e longo prazo. Se, ao pedir o desligamento, o funcionário não tem clareza nem amparo do que está acontecendo, pode espalhar para colegas o quanto o tratamento foi ruim, fato que traz prejuízos à companhia.

Por esse motivo, o offboarding precisa estar entre as prioridades do time de RH. Claro, quanto menos desligamentos houver, melhor. Mas é normal que aconteçam e encarar isso de frente é o melhor caminho. A Caju preparou este artigo com vários detalhes para sanar suas dúvidas. Acompanhe até o final.

O que é offboarding?

Offboarding é o processo de desligamento de um funcionário e envolve etapas variadas, do pedido de demissão em si, às comunicações com o time, regras sobre devolução de equipamentos e orientações do RH. Deve incluir também entrevistas finais para entender a percepção sobre a empresa. 

Sabemos que o turnover não é muito bem quisto por nenhuma empresa, mas fugir do offboarding e deixar o colaborador desamparado pode até piorar a percepção deste em relação à empresa, assim, quanto mais transparência e estruturação, melhor.

Também é interessante usar o offboarding como um impulso para rever e melhorar a empresa, o que, a longo prazo, pode acabar diminuindo a taxa de turnover dos funcionários.

Qual é a diferença entre onboarding e offboarding?

A diferença é que o onboarding envolve todos os momentos de acolhimento do colaborador à nova empresa: recebimento de materiais, palestras e orientações sobre a companhia, interações com seu time, clareza sobre as entregas e políticas da empresa. Em geral, é comum dar mais tempo a essa adaptação — há lugares que dedicam uma ou mais semanas antes de o funcionário começar, de fato, a fazer seu trabalho.

Já o offboarding envolve o desligamento da companhia. Seja um pedido de desligamento ou layoff por parte da empresa, o offboarding deve considerar desde esse momento inicial até que o colaborador esteja realmente fora, passando pelas comunicações com o time, com o RH sobre acertos e até uma pesquisa para entender o que aconteceu e quais as insatisfações com a empresa. 

É interessante também medir as impressões sobre o processo de offboarding em si para que seja sempre aprimorado, assim como acontece com o onboarding. Para os dois processos, soft skills como empatia e comunicação fazem a diferença.

Em geral, no Brasil, ainda é comum que muitos negócios entendam que, se o colaborador não quer mais ficar no trabalho, não adianta ter um offboarding. Entretanto, a verdade é que a demissão causa muitas dúvidas e receios, por isso, faz todo o sentido acolher o colaborador da mesma maneira como aconteceu no onboarding.

Como adotar o offboarding?

Deu para sentir a importância de ter um offboarding preciso, certo? A boa notícia é que você precisa de poucos passos para criar um. Mas devem ser processos vivos, com abertura para aprimorar sempre.

A seguir, trazemos em detalhes!

Garanta que todo o processo feito está acordado na lei

O desligamento de um colaborador também envolve uma série de questões burocráticas: vai cumprir aviso prévio? Qual é o valor do acerto? Como ficam as horas extras no banco de horas? E quanto à baixa na carteira de trabalho?

Os acertos financeiros precisam ser feitos e mostrados passo a passo. Além disso, deve-se retirar o colaborador dos dados do time da empresa e regulamentar a situação legal do processo.

Ao criar um offboarding efetivo, sua empresa consegue realizar todas essas práticas, garantindo a satisfação do funcionário.

Tenha transparência em toda a comunicação

Sabemos que nunca é interessante perder um funcionário, seja porque ele conseguiu uma melhor oportunidade ou tem insatisfação com a companhia. Mas manter segredo sobre o desligamento do colaborador só piora.

Dessa forma, seguir processos e ter transparência em relação a eles facilita em diversos aspectos, como:

  • contar ao restante do time quando o desligamento acontece e o motivo. Por exemplo, se for um desligamento por parte da empresa, comunicar aos colegas de trabalho a razão evitando inseguranças e, se for motivado por vontade do colaborador, também trazer clareza;
  • avisar clientes da empresa, se esse for o caso;
  • explicar o passo a passo do que acontece — rescisão do contrato, recebimentos e devolução de equipamento.

Prepare a equipe para o offboarding

A saída de um colaborador não é só uma questão entre ele e o RH, envolve colegas de squad, necessidades do time de TI de bloquear acessos e demais áreas.

Assim, mapear boas práticas num documento de offboarding acaba poupando muito trabalho a cada desligamento e facilitando os processos. Como o fato de o ex-colaborador perder acessos ao sistema no dia seguinte ao desligamento ou a necessidade de ele entregar um relatório de seu trabalho para que a pessoa que o assuma entenda quais os próximos passos.

Não deixe o colaborador em desamparo

O fato de seguir a lei e trazer transparência já traz amparo a quem está saindo, mesmo assim, estabeleça um canal direto com o time de RH, porque é natural que surjam dúvidas de última hora.

Faça uma entrevista de desligamento

A entrevista de desligamento não serve para que o colaborador volte atrás, mas é essencial para entender pontos de melhoria sobre a empresa — ainda mais se o turnover é alto. 

Essa entrevista é interessante tanto quando o funcionário pede demissão ou a empresa o desliga e, de qualquer forma, é uma boa prática realizá-la quando o colaborador já não tem mais vínculo com a companhia: uma semana depois é o suficiente.

Use esse momento para colher impressões sobre a gestão direta, processos, time de RH, colegas, clima organizacional, entre outros.

Realize uma pesquisa sobre o offboarding

Como vimos, nem todas as empresas usam o offboarding, o que pode trazer muita dúvida ainda sobre o quão satisfatório é esse processo, concorda? Por isso, uma pesquisa final, por email mesmo, é o suficiente para entender pontos de melhoria.

Garantir amparo a um colaborador quando ele está saindo do trabalho é uma das obrigações do time de RH e fica mais simples quando temos esse processo documentado. Crie este documento, compartilhe com o time de RH e lembre-se de que ele é algo vivo e que pode ser aprimorado de tempos em tempos.

Além do offboarding, é sempre bom rever suas práticas de onboarding. Leia este artigo para se atualizar!

Michele Fernandes

Responsável pela frente de Geração de Demanda dentro da Caju, com mais de 10 anos de bagagem no mercado de tecnologia e Marketing B2B. Apaixonada por comunicação e gestão de pessoas, encontrou na empresa uma maneira de unir as duas paixões em um único desafio.

Artigos Relacionados

Assine nossa newsletter

Receba as novidades da Caju em primeira mão

Thank you! Your submission has been received!

Oops! Something went wrong while submitting the form