Entenda as características da nova carteira de trabalho digital

July 9, 2020
Recursos Humanos

Você já conhece a mais nova facilidade para trabalhadores e empregadores a respeito de documentação? É a carteira de trabalho digital, que foi implementada pelo Governo Federal em setembro de 2019, por meio da portaria nº 1.065.

Algumas mudanças foram feitas em busca de unificar as informações de pessoas físicas, e elas já podem ser adotadas pelas empresas.

Se você está em busca de otimização de tempo e quer se manter bem informado, precisa continuar a leitura deste conteúdo. Vamos mostrar exatamente as mudanças. Confira!

O que é a carteira de trabalho digital?

Antes dessa inovação, o trabalhador tinha, além do documento de RG e CPF, a CTPS, que tem por objetivo armazenar as informações de trabalho.

Agora, não é mais necessário o documento físico, já que o Governo Federal lançou um sistema próprio para inclusão e atualização dos dados dos colaboradores. A CTPS física somente precisará ser aceita caso a organização não tenha o eSocial.

A partir de agora, o profissional pode criar a sua versão digital e acompanhar as novas informações dispostas pela empresa por meio do site ou aplicativo.

Para quem ainda não tinha o documento, ficou mais fácil, pois não é mais necessário ir aos órgãos públicos para fazer a solicitação, basta fazer o acesso on-line.

O que muda para a gestão de RH?

Junção com o eSocial

As empresas que já fazem uso do eSocial podem fazer as atualizações na carteira de trabalho digital dos colaboradores a partir do número do CPF, já que a unificação de dados é por meio desse sistema.

Para os novos contratos, não é necessário o documento físico, pois também ocorrerá o primeiro registro da empresa por esse método.

Migração de dados

Como já mencionamos, a unificação a partir do sistema do eSocial permite que, assim que o colaborador for incluído pelo empregador, já apareçam seus dados na carteira de trabalho digital.

Com essa integração, outros dados também são otimizados, como é o caso de férias, alteração salarial ou até mesmo desligamento dos funcionários.

Porém, por mais que o processo seja feito de forma rápida e prática, a atualização de algumas informações pode levar até 10 dias para se concretizar.

Apesar de toda essa facilidade, é essencial conferir se os dados estão mesmo atualizados e se conferem com determinado colaborador.

O que muda para o trabalhador?

Mesmo que essa melhoria pareça apenas reduzir a burocracia por parte da empresa, é importante que os colaboradores sejam orientados sobre as mudanças, uma vez que não é mais obrigatória a atualização após seu desligamento, por exemplo.

Da mesma forma, é importante comunicá-los para que fiquem atentos e baixem o aplicativo. Assim, eles podem acompanhar as transformações feitas pelo empregador, mesmo que tenham a via física.

Além disso, é essencial orientá-los a guardar o documento físico, pois ele pode servir de consulta para os colaboradores que não migraram automaticamente. Além disso, caso eles façam parte de outra instituição que não conte com o eSocial, vão precisar dele.

Apesar de a carteira de trabalho digital ter sido criada em 2017, somente agora sua validação foi concretizada e ela passou a ser usada. Contudo, se a sua empresa já conta com o sistema do eSocial, fica muito mais fácil de se adaptar a essas modificações.

Quer ficar por dentro de outras tendências de gestão de RH? Então, confira este material completo!

Caju Team

Caju é uma plataforma de benefícios para quem se importa com seus colaboradores!

Substitua todos seus cartões de benefícios pela Caju! Aqui você consegue comprar os benefícios do seu time de um jeito fácil e que seu time vai amar!

Artigos Relacionados

Assine nossa newsletter

Receba as novidades da Caju em primeira mão

Thank you! Your submission has been received!

Oops! Something went wrong while submitting the form