Receba um pedaço da Caju toda semana.

Inscreva-se na nossa newsletter e receba as principais novidades que o profissional de RH precisa saber para se destacar no mercado.

Cultura organizacional

O que é people experience e qual a sua importância para o clima e cultura organizacional

A people experience de sua empresa define a melhora ou piora do clima organizacional. Saiba mais no blog da Caju Benefícios!

Criado em

Atualizado em

por Michele Fernandes

Leia em 6 minutos

People experience, ou experiência de pessoas em tradução livre, é um conceito que indica como os colaboradores da empresa vivem na prática os valores e a cultura organizacional da companhia no dia a dia de trabalho.

Seus colaboradores gostam de trabalhar na empresa? Por acaso, vocês rodaram pesquisas para entender a satisfação dos funcionários? Se a resposta for sim, você já tem ideia do que é people experience e nosso artigo vai ajudar a entender como aprimorá-la.

Agora, se a sua resposta for não, você também está no lugar certo! Este texto do blog da Caju vai mostrar como melhorar a experiência prática das pessoas na sua organização. Entenda mais com a gente!

O que é people experience?

People experience (experiência de pessoas em tradução livre) é um conceito que indica como os colaboradores da empresa vivem na prática os valores e a cultura organizacional da companhia.

Afinal, ter valores e uma cultura desenhados no papel e nas diversas comunicações digitais do negócio é uma coisa. Outra é vivenciá-las e experienciá-las na prática. Por isso, por mais que a cultura seja uma, existem muitos fatores que podem interferir em como os colaboradores sentem a people experience durante o período em que ficam na empresa.

Portanto, definidas a identidade e os valores, é mais do que básico que um negócio garanta que eles sejam identificados na people experience, ou experiência dos trabalhadores. É dessa maneira que a cultura organizacional sai ganhando!

Qual é a importância da people experience?

A importância da people experience é que, ao contratar um funcionário, ele chega com altas expectativas, seja pelo onboarding, por descobrir sobre os valores da empresa em pesquisas na internet ou mesmo pelo que testemunhou de outros funcionários.

Se a experiência do colaborador não foi como o que essa pessoa sentiu nessas conversas ou se notou que os valores ficam apenas no papel, pode se decepcionar. Isso estimula alguns problemas, como desengajamento, aumento de turnover e uma piora na employee experience.

Já quando a experiência é positiva, a empresa e o colaborador saem ganhando, pois há melhora no clima organizacional, mais engajamento e boas iniciativas sempre surgindo. Afinal de contas, o sentimento de pertencimento à empresa faz com que o colaborador queira seguir por lá, e crescendo.

Qual é a diferença entre people experience e employee experience?

Os conceitos de people experience e employee experience estão bastante relacionados, na verdade. A employee experience, ou experiência do colaborador, tem a ver com tudo o que as pessoas vivenciam na empresa a partir do momento em que se começa o processo seletivo, do onboarding até o offboarding. Já a people experience mostra o quanto essa experiência está conectada com o que a cultura e os valores realmente acontecem na prática.

Os dois conceitos também impactam o clima organizacional, o engajamento e a rotatividade da companhia. Quando eles estão em dia, a organização tem uma melhora no employer branding, conceito que ajuda a atrair e reter mais talentos.

Por isso, alinhar processos de onboarding, reuniões de feedback, ter pesquisas de satisfação, criar um PDI (plano de desenvolvimento individual) de acordo com as necessidades do negócio e manter um ambiente seguro para conversas sobre insatisfações são jeitos de garantir que people experience e employee experience não serão um problema para a empresa e para o colaborador, pelo contrário, vão trabalhar a favor de ambos.

Como ter uma boa people experience na empresa?

Garantir que a empresa entrega uma ótima people experience acaba sendo uma construção, não é do dia para a noite e envolve algumas etapas. Veja quais são:

liderar pelo exemplo:

  • aplicação da cultura e valores no dia a dia: mais do que se orgulhar do código de cultura, é preciso colocá-lo em prática. Isso começa na liderança e passa por todos os outros colaboradores. Reflita sobre quais atitudes estão desalinhadas e comece a rever isso;
  • contratações com fit cultural: por exemplo, se sua empresa preza pela diversidade e empatia com os colaboradores, isso preciso se refletir na hora de contratar, o que evita criar um ambiente pouco favorável depois;
  • liderar pelo exemplo: é muito ruim ter líderes que falam algo e fazem o contrário. Durante o treinamento de lideranças, vale a pena orientar todos sobre essa questão;
  • cultura de feedback: o feedback e as reuniões de 1:1 entre líder e liderado e entre pares do time precisa ser estimulado. São conversas honestas, num ambiente seguro, que trazem ideias que aprimoram a people experience;
  • metas estratégicas e possíveis: pode ser bem desestimulante, por mais que que cultura seja aplicada no dia a dia, ter que trabalhar por metas fora da realidade ou, pior ainda, não ter metas. Entenda as metas como uma bússola para a empresa e para cada colaborador seguirem crescendo;
  • benefícios flexíveis: mais do que salário competitivo, os benefícios flexíveis e que vão além da CLT também entram na questão da people experience. Pode ser interessante repensar seus benefícios de tempos em tempos.
  • pesquisas de satisfação: aqui entram as pesquisas de satisfação com a liderança direta, com o setor e de clima organizacional. Elas devem ser feitas periodicamente e analisadas para que sejam postas em prática as melhorias. Um colaborador entende que problemas acontecem, a questão é não fazer nada para resolver os problemas, não se esqueça!

Como medir a people experience?

Você pode medir a people experience, principalmente, pelos resultados das pesquisas de clima organizacional, que devem ser feitas com frequência — a cada seis meses é uma boa pedida.

Mas também acaba sendo entendida por outros indicadores, como absenteísmo e turnover. Por isso, todas as pesquisas que citamos, não apenas as de clima organizacional, devem ser colocadas em prática.

Conte com a Caju Benefícios

Um único cartão para todos os seus benefícios oferecidos, com a flexibilidade da bandeira Visa, aceita em qualquer estabelecimento. É simples para seus colaboradores e para o RH fazer a gestão. Muitas empresas tiveram aumento nos indicadores de satisfação e retenção de talentos usando a Caju, sabia?

Aproveite para falar com um dos nossos especialistas e passar a oferecer Caju Benefícios o quanto antes. Ah, tem custo zero também!

Conheça a Caju

Preencha o formulário de interesse abaixo.

Entraremos em contato com as melhores soluções para sua empresa.

Compartilhe nas redes sociais

Michele Fernandes

Marketing

Profissional da área de comunicação há mais de 10 anos, com especialidade em criação e estratégia de conteúdo B2B em empresas de tecnologia.

Ver todos os posts dessa autoria

Receba um pedaço da Caju toda semana.

Inscreva-se na nossa newsletter e receba as principais novidades que o profissional de RH precisa saber para se destacar no mercado.